segunda-feira, 17 de outubro de 2011

...

Via-se dor, tristeza e preocupação em seu olhar. 
Ela nada fazia a respeito... Nada além de esperar.
Olhava um ponto fixo, que nada faria em relação àquilo.
Aos poucos, passos leves atravessaram a sala.
Passos que pertenciam a quem, logo mais, tocaria seu ombro e diria:
– Está tudo bem. Tudo ficará bem.
Ela gostava daquilo... Seu conforto, sua segurança... Amava.
Amava-o.

Nenhum comentário:

Postar um comentário