sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Dicromático

Não gosto de toques superficiais. Prefiro sentir o que toco. A música caminha por meu corpo e move meus dedos. O som guia meu toque e se propaga ainda que haja um erro. Posso fechar meus olhos. Minha paixão por aquilo é tão grande que as horas já fizeram um mapa de possibilidades na mente. O caminho do sonho e da experiência serão turbulentos, mas o esforço e o tempo serão chaves para as portas que estão fechadas ou meio abertas.

Estou sem ideias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário