domingo, 25 de dezembro de 2011

"A gente engole tanta coisa amarga na vida, por que não comer uma verdura amarga?"

A Nonna me falou isso outro dia. Hoje está martelando na cabeça.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Está na hora de sair de casa, tomar um café da manhã com minha avó, almoçar com meu pai, assistir a um filme com a minha mãe, ajudar minha irmã na atividade de casa, visitar os meus tios, passar o tempo com meus amigos...

Sabe quando você assiste a algum vídeo, seja sobre qual assunto for, e aquilo te toca profundamente? Ou melhor, seja um texto, uma fotografia, uma música... Seja um livro... Aquele livro que perturba seus sentimentos, te deixa inquieto e mesmo assim você tem vontade de ler inteiro assim que termina... Aquele texto que, por maior que seja, você leria todos os dias assim que escovasse os dentes ao acordar... Aquela fotografia que te faria ficar perdido em pensamentos, em pensamentos da mesma natureza, sempre... Uma música que você gostaria de acordar escutando, uma música que te fizesse acordar de verdade. Sabe o problema de coisas que tocam, de palavras e atitudes que calam? Parece que é passageiro, efêmero, ou melhor, os acontecimentos da vida são efêmeros e, às vezes, não costumamos dar um valor real a esses momentos, às vezes nos distraímos com coisas bobas, às vezes nos distraímos com coisas que realmente nos invadem, que nos fazem pensar em coisas que não costumam vagar por nossas mentes, coisas boas... Às vezes, nos enche de arrependimentos, de dor... Dor por saber que não temos um texto, um livro, uma música, uma fotografia, uma oração composta ou simples, uma frase para nos acordar para a realidade, que nos faça viver os dias como últimos ou que, mesmo que não seja vivido como último, que seja ao menos valorizado como sendo único. Bom, agora eu desejo um Henry; não precisa ser para me apaixonar por ele todos os dias, como faz a Lucy... Só para dar um toque especial em cada dia meu, seja com uma fita VHS, seja com um vídeo no iPod, um recado inesperado na minha área de trabalho ou no meu quadro de avisos, uma flor inesperada perto da minha cama e um recadinho especial... Eu desejo alguém que possa me fazer ver que os dias são únicos e devem ser aproveitados para com sua unicidade, e não só os dias, as pessoas, as horas, os objetos, as viagens, as palavras, as imagens, os olhares, os sorrisos, os beijos, os abraços, a vida. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Acumulo estresse

Sabe quando você está com algo para resolver, daí resolve, mas depois aparece algum problema para precisar de uma solução e é sempre relacionado a mesma coisa? Meu dia foi assim... Resolvi. Apareceu outra complicação. Resolvi. Apareceu outra complicação. Resolvi. Agora, bom, estou sem solução... E agora minha cabeça está estourando. Bom, vamos resolver, mas só mais tarde.