quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Fotografias

Não sei quanto faz desde então, mas me lembro de cada detalhe, cada mínimo detalhe que poderia ter sido deixado no meio do caminho, mas vendo, agora, o que eu matei por meio de uma fotografia, sei, eu, daquilo que só diz sobre mim. Lembro cada pequeno pedacinho de seja qual for o sentido... Cada dúvida que me fez nós e mais nós peito adentro, cada certeza que me fez mais leve, o cheiro de qual seja a estação. E, na morte daquilo que eu amo, que faz parte de mim e fez parte do que eu já fui um dia, eu sei o quanto e o porquê de amar.